domingo, 10 de maio de 2009

Qualidade da educação no Brasil

O Brasil corre o risco de não atingir parte das metas de Educação traçadas em
2000 pelas Nações Unidas no encontro Educação para Todos, segundo o relatório
global,apresentado pelo Unesco. Apesar de ter posto a
maior parte das crianças na escola, o País ainda peca pela falta de qualidade na
Educação e por ter dificuldades de alfabetizar adultos. Entre 121 países, o Brasil
aparece em 71º lugar.


No entanto, o Brasil vai bem apenas no índice de matrículas, onde estaria próximo
de países como Hungria e Polônia. A qualidade de Educação, que é vista pela
Unesco por meio da permanência das crianças até a 5ª série, empurra o Brasil
para baixo. A alta repetência, a maior da América Latina, e a quantidade de horas
que as crianças passam na escola são dois dos fatores que a Unesco aponta
como problemáticos para o Brasil. Na paridade de gênero, o Brasil também tem
problemas, contrários aos da maioria dos países. Enquanto na maior parte do
mundo são as meninas que ficam fora da escola, o Brasil tem perdido os meninos
para a repetência e evasão. Dados do relatório retirados do governo brasileiro
colocam a repetência em cerca de 18% entre as meninas e quase 25% entre os
meninos.

O relatório deste ano é centrado no analfabetismo adulto. Apesar de citado pelas
campanhas e projetos de alfabetização, o Brasil é apontado entre os 20 países
que podem não atingir a meta de reduzir em 50% o número de analfabetos até
2015. Isso porque o ritmo é lento. O País tem hoje cerca de 16 milhões de
analfabetos. O relatório da Unesco elogia os esforços e as metas do governo, mas
mostra que já foram feitas várias campanhas e ações e os resultados não foram
permanentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário